sexta-feira, 2 de março de 2012

SANTA CUNEGUNDES DE LUXEMBURGO, RAINHA - 03 DE MARÇO












SANTA CUNEGUNDES DE LUXEMBURGO



Existem duas santas: Santa Cunegundes de Luxemburgo, rainha , filha de Sigfredo e Asdvige, festejada no dia 03 de março  e Santa Cunegundes da Polônia, Clarissa, filha do rei Bela IV e de Maria Láskaris, festejada no dia 24 de julho.





A iconografia de Santa Cunegunda , rainha, mostra-a com vestes majestosas e a de Snata cungeunda da Polônia, com as vestes de freira clarissa.


Santa Cunegunda de Luxemburgo (975- 3 de Março de 1040, em Kaufungen), foi a esposa do Imperador São Henrique II. Ela é a Padroeira do Luxemburgo, e a sua festa litúrgica é no dia 3 de Março.



Os seus pais eram Siegfried do Luxemburgo (922 - 15 de Agosto 998) e Edviges de Nordgau (c. 935-992).

Ela era uma descendente de sétima geração de Carlos Magno.

O seu casamento com St. Henrique II foi espiritual, isto é, eles casaram-se com companheirismo religioso e pelo mútuo acordo de não consumarem o seu relacionamento.



Cunegundes era muito activa politicamente. Conforme o assessor mais próximo do seu esposo, ela participou nos Conselhos Imperiais.









Em 1014, St. Cunegunda foi com o esposo para Roma e tornou-se Imperatriz, recebendo, juntamente com Santo Henrique, a Coroa Imperial das mãos do Papa Bento VIII.






Após a morte de St. Henrique em 1024, ela tornou-se regente, juntamente com o seu irmão e entregou a insígnia imperial, quando Conrado II foi eleito para suceder.



Como viúva, St. Cunegunda ficou relativamente pobre, devido à enorme riqueza doada por ela e St. Henrique, em obras de caridade.



Em 1025, exactamente um ano após a morte do esposo, Santa Cunegunda retirou-se para Kaufungen Abadia, num convento beneditino. Ela faleceu em 1040, e foi sepultada na Catedral de Bamberg, perto de seu esposo. Ela foi canonizada pelo Papa Inocêncio III a 29 de Março de 1200.











Santa Cunegundes viveu na realeza. Nasceu no ano 988, era filha de Sigfredo, conde de Luxemburgo e Asdvige, que transmitiu pessoalmente à ela os profundos ensinamentos cristãos. Desde pequena a menina desejava se tornar religiosa.





Porém casou-se com Henrique, duque da Baviera, que era católico e em 1002 se tornou rei da Alemanha. Em 1014 o casal real recebeu a coroa imperial das mãos do Papa Bento VIII, em Roma. Para o povo, foi um tempo de paz e prosperidade. O casal ficou famoso pela felicidade que proporcionava aos seus súditos, o que chamou a atenção dos inimigos do reino e do imperador.


 

Mas também porque a população e a corte diziam que eles haviam feito um "matrimonio de São José", o que equivale viver em união apenas como bons irmãos. Verdade ou não, o fato é que Henrique percebeu que a esposa não podia ter filhos e decidiu ficar com ela, sem usar o direito do repúdio público para dissolver o casamento, como era legítimo na Alemanha e cuja situação era tolerada por Roma.





Mais tarde, os inimigos da corte espalharam uma forte calúnia contra a imperatriz, dizendo que ela havia traído seu marido. A princípio os dois não se importaram, mas os boatos começaram a rondar o próprio palácio e Cunegundes resolveu acabar com a maledicência.



Numa audiência pública, negou a traição e evocou Deus para comprovar que dizia a verdade. Para isso, mandou que colocassem à sua frente grelhas quentes. Rezou, fechou os olhos e pisou descalça sobre elas várias vezes, sem que seus pés se queimassem. Isso bastou para o imperador, a corte e o povo admirar ainda mais a santidade da imperatriz, que vivia trabalhando para atender os pobres e doentes, crianças e idosos abandonados, com suas obras religiosas assistenciais.




Em 1021 o casal imperial fundou um mosteiro beneditino em Kaufungen, em agradecimento à Deus pela cura completa de uma doença grave que Cunegundes havia contraído. Quatro anos depois, quando Henrique faleceu, ela retirou-se para esse mosteiro, abdicando do trono e da fortuna, onde viveu como religiosa por quinze anos.









Ainda hoje o mosteiro possui em seu acervo os riquíssimos e belos paramentos que Cunegundes costurava.

Contudo, ela própria usava somente um hábito muito simples, também feito com as próprias mãos. Com ele trabalhava diariamente e com ele fez questão de ser enterrada, embora suas companheiras tivessem preparado cobertas ricamente bordadas e enfeitadas com jóias preciosas para seu velório.


 
Antes de morrer, no dia 03 de março de 1039, pediu que a enterrassem como uma simples monja e ao lado da sepultura do esposo, na Catedral de Bamberg, que eles também haviam construído.



O local foi palco de numerosos prodígios e graças, por isso seu culto correu entre os fiéis e se propagou por toda a Europa.



O Papa Inocêncio III a canonizou em 1200, autorizando sua festa para o dia de sua morte. Santa Cunegundes é padroeira de Luxemburgo, da Lituânia e da Polônia o que faz com que sua devoção se mantenha ainda muito forte e intensa





 

CONCEDEI-NOS, Ó DEUS ,
A SABEDORIA E O AMOR
QUE INSPIRASTES À VOSSA FILHA SANTA CUNEGUNDES,
PARA QUE, SEGUINDO SEU EXEMPLO DE FIDELIDADE,
NOS DEDIQUEMOS AO VOSSO SERVIÇO,
E VOS AGRADEMOS PELA FÉ E PELAS OBRAS.

POR NOSSO SENHOR JESUS CRISTO,
VOSSO FILHO,
NA UNIDADE DO ESPÍRITO SANTO.
AMÉM



File:Saint Kinga.jpg

"QUEM SEMEIA NO ESPÍRITO ,
DO ESPÍRITO, COLHERÁ A VIDA ETERNA."
GL 6,8









HENRIQUE E CUNEGUNDES









SANTA CUNEGUNDES,
 ESPOSA FIEL, EXEMPLO DE CARIDADE, QUE FOSTES IMPERATRIZ HUMILDE E PIEDOSA, ALCANÇAI DO SENHOR, POR VOSSA INTERCESSÃO ,
 QUE SAIBAMOS TRILHAR NOSSOS PASSOS NO CAMINHO DO EVANGELHO
 E ALCANÇAR A GLÓRIA ONDE VIVEIS
COM TODOS OS ANJOS E SANTOS,
LOUVANDO AO DEUS UNO E TRINO SEM CESSAR.
ASSIM SEJA









TUMBA DE SANTO HENRIQUE E SANTA CUNEGUNDES,
 EM BAMBERG .







SANTA CUNEGUNDES,
ORAI POR NÓS!








 FONTES:















Nenhum comentário:

Postar um comentário