terça-feira, 2 de agosto de 2011

SANTA PRAXEDES - 21 DE JULHO






 




Santa Praxedes era uma dama romana cujo pai, São Prudêncio, convertido por São Paulo Apóstolo, era um amigo dos Apóstolos.

 Ela era irmã de Santa Prudenciana (ou Prudência).






 


Biografia

No tempo em que o imperador Marco Aurélio perseguia os cristãos, Praxedes, dama romana, irmã de Prudenciana (ou Prudência), ajudava aos fiéis com os seus recursos financeiros e seus cuidados, consolava-os e prestava-lhes todos os serviços que podia dispensar com sua caridade.

Escondia-os em sua casa, exortava-os a perseverar na fé, enterrava cristãmente os cadáveres.

Ela não deixava que nada faltasse aos que eram aprisionados nas masmorras ou àqueles tratados como escravos.

 As duas irmãs mandaram construir um batistério dentro de sua própria casa, onde já havia uma capela, para que ali os catecúmenos fossem batizados.

Foram ajudadas em suas obras pelo Papa Pio I (140-154 d.C.) e pelo sacerdote Pastor.











 
AS IRMÃS SANTA PRAXEDES E PUDENCIANA GUARDANDO O SANGUE DOS MÁRTIRES E ENTERRANDO SEUS CORPOS.














 

Prudenciana morreu martirizada aos dezesseis anos de idade e foi enterrada nas catacumbas de Santa Priscila, perto de seu pai, na Via Salária.

Após a morte de sua irmã Prudenciana, Praxedes, oriunda de uma família nobre e tradicional, transformou seus palácios em igrejas para onde, dia e noite, os pagãos acorriam aos milhares pedindo o Batismo.

A polícia imperial respeitava a residência de uma descendente dos Cornelii. Livre da tutela de Antonino, seu pai adotivo, Marco Aurélio não demorou muito a ser impedido por este obstáculo. Aconteceu uma execução em massa, em que inúmeros cristãos foram presos e massacrados.

A dama romana viu tudo desmoronar ao seu redor sem que ela própria fosse atingida.










Magoada, Praxedes voltou-se para Deus e pediu-Lhe para morrer, se isso lhe fosse vantajoso.
















 



Foi chamada, no décimo segundo dia das *calendas de agosto, a receber no Céu a recompensa por sua piedade.

Seu corpo foi depositado, pelo padre Pastor, na sepultura de seu pai e de sua irmã Prudenciana, nas catacumbas de Santa Priscila, na Via Salaria.




Celebrações


Praxedes é celebrada pela Igreja no dia 21 de Julho, dia de sua morte, após ter prestado assistência durante um longo tempo aos primeiros cristãos perseguidos.

Foi enterrada junto ao seu pai e à sua irmã, e uma igreja lhe foi consagrada, reconstruída pelo Papa Pascal I em 822, e que hoje é a Basílica de Santa Praxedes de Roma.










Segundo a tradição, nesta basílica é conservado um pedaço da coluna na qual teria ocorrido a flagelação de Cristo.








 


*As calendas, no antigo calendário romano, eram o primeiro dia de cada mês quando ocorria a Lua nova. Havia três dias fixos: as calendas, as nonas (quinto ou sétimo dia, de acordo com o mês) e idos (13º ou 15º dia, conforme o mês). Dos idos é que provém a expressão "nos idos de setembro" para expressar uma data para a segunda metade do mês.

É desta palavra que se originou o termo calendário e a expressão calendas gregas, representando um dia que jamais chegará, pois era inexistente no calendário grego
 
 
 
 
Basílica de Santa Prassede





 




Santa Praxedes ou Santa Passos é uma bela igreja dedicada à santa no século V e sob o papa Pascoal I cujo pontificado ocorreu de 817 a 824 foi aumentada para formar uma basílica com nave central e duas naves laterais.

 










 

Tornou-se propriedade dos beneditinos em 1198. Nos séculos seguintes foi sendo aumentada e restaurada, sem perder seu caráter basilical. No interior há duas colunas de granito que sustentam uma arquitrave horizontal e alternam com pilares maciços, dividindo a ampla nave das naves laterais.



Acrescentaram-se arcos no século XIII, que atravessam a igreja de lado a lado. Como outras igrejas contemporâneas, foi ornamentada com ricos mosaicos. A Cidade Celeste de Jerusalém aparece acima do arco triunfal, e o Cordeiro do Apocalipse, o Livro dos Sete Selos, os Sete Candelabros, os Quatro Arcanjos e os símbolos dos quatro Evangelistas aparecem no arco da ábside. De ambos os lados do arco, os velhos do Apocalipse trazem coroas douradas ao Cordeiro de Deus, e na cúpula da ábside aparecem as irmãs Pudenciana e Praxedes, conduzidas ao céu. O objetivo era duplo: glorificar Deus e os santos, e ao mesmo tempo instruir os fiéis da doutrina cristã.



O mosaico da ábside é a maravilha da igreja: é carolíngio, data do século IX.






Narra a história das duas santas irmãs que teriam acolhido São Pedro em sua casa. Gratos, São Pedro e São Paulo as acolhem no céu e as apresentam a Cristo. As duas têm coroas da vida eterna, que carregam maravilhadas em suas mãos veladas. Á esquerda surge o construtor da basílica, Pascoal I, com o modelo arquitetônico da igreja nas mãos, que estende para Cristo.

 Do outro lado, São Zeno, em cuja honra Pascoal mandou construir uma capela perto da nave lateral direita. O recebimento das irmãs nos céus tem lugar sobre um campo verde semeado de flores, onde corre o rio Jordão, tendo de cada lado Jerusalém e Belém. O assunto se prolonga no friso inferior, que mostra o Cordeiro de Deus e doze ovelhas, símbolo dos Apóstolos.







INTERIOR DA BASÍLICA DE SANTA PRAXEDES, EM ROMA.

ABAIXO DO ALTAR ESTÁ A CRIPTA COM AS RELÍQUIAS DAS SANTAS PRAXEDES E PUDENCIANA.














A capela de São Zeno segue o plano de uma cruz grega e era destinada ao túmulo da mãe do papa, Teodora. Hoje é um dos poucos aposentos medievais completamente abobadados da cidade. Na entrada há duas colunas de pórfiro com capitéis carolíngios, que apoiam uma antiga entablatura (a parte superior das colunas, ou arquitrave, friso e cornicha).

 Tudo se cobre de mosaicos coloridos, sobre campo de ouro, referentes às relíquias dos mártires na igreja. Uma imagem de Cristo, apenas o rosto e os ombros, com auréola redonda, está no apex da abóbada, sustentada por quatro anjos que parecem crescer das colunas de apoio à cúpola. Os apóstolos André, João e Tiago aparecem no arco redondo à direita, e Cristo no nicho entre São Pascoal I e São Valentiniano.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia




PLACA COMEMORATIVA.
O PAPA PASCOAL I TROUXE PARA ESTA IGREJA OS CORPOS DE 2.300 MÁRTIRES.




COLUNA SEGUNDO A TRADIÇÃO
DA FLAGELAÇÃO DE CRISTO




CRIPTA ONDE REPOUSAM
OS RESTOS MORTAIS
DE SANTA PRAXEDES E SUA IRMÃ.




TETO DA BASÍLICA







PAPA PASCOAL I


SANTA PRAXEDES GUARDANDO
O SANGUE DOS MÁRTIRES




TUMBA ONDE ESTÃO OS RESTOS MORTAIS DE SANTA PRAXEDES






INTERIOR DA BASÍLICA


SANTA PRAXEDES
GUARDANDO O SANGUE DOS MÁRTIRES




SANTA PUDENCIANA E  SANTA PRAXEDES
LADEANDO
A VIRGEM COM O MENINO JESUS



SANTA PUDENCIANA



 
 
 

































Nenhum comentário:

Postar um comentário